X

Quem Somos

A Instituição Assistencial e Educacional Amélia Rodrigues é uma organização sem finalidade lucrativa que há 35 anos vem transformando a realidade de crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, vindas de comunidades de baixa renda, em Santo André (SP).

Atualmente, a organização oferece, gratuitamente, atendimento nas área de Educação Infantil: período integral, cinco dias por semana, com 230 crianças de 03 meses a 04 anos; Serviço de Convivência e Fortalecimentos de Vínculos: meio período, cinco dias por semana, com 60 crianças de 05 a 10 anos e 11 meses; Grupo de Adolescentes: 2 vezes por semana, com aulas de Dança e Música, e comporta 23 pré-adolescentes de 11 a 18 anos e Projeto Gestante: duas turmas por ano (25 alunas em cada), destinado a atender as gestantes da comunidade e das famílias por nós atendidas.

O objetivo da Instituição consiste em proporcionar o desenvolvimento integral da criança e oferecer condições de trabalho às mães, visando melhoria na renda familiar. Essa meta é incentivada pela busca constante de aperfeiçoamento no apoio às famílias.

Para manter todo esse trabalho com nível de excelência, a Amélia Rodrigues conta com a colaboração de parceiros na esfera pública (convênio com a prefeitura de Santo André), privada (empresa e pessoa física), além de contar com a ajuda de voluntários na realização de eventos para arrecadação de recursos financeiros. 

Quem foi Amélia Rodrigues?

Amélia Augusta do Sacramento Rodrigues, mais conhecida por Amélia Rodrigues, nasceu em 26 de maio de 1861, na Fazenda Campos, Freguesia de Oliveira Campinhos, Município de Santo Amaro da Purificação, no Estado da Bahia.

Desde cedo mostrou sua vocação inata para o magistério e durante sua vida foi reconhecida como expoente cultural das Letras na Bahia. Foi professora emérita, poetisa, escritora, teatróloga. Começou a lecionar ainda muito jovem no Arraial da Lapa e depois em Santo Amaro da Purificação, onde exerceu a profissão de professora por oito anos consecutivos.

Em 1891, pelo seu amor à causa do ensino, diante de sua capacidade ímpar na tarefa de ensinar e pelo grande conceito na comunidade, passou a lecionar na Escola Central do Bairro Santo Antonio, em Salvador.

Mesmo após se aposentar, Amélia Rodrigues continuou trabalhando em prol do ensino: fundou o Instituto Maternal Maria Auxiliadora, que mais tarde transformou-se na Ação dos Expostos. Aproveitando o tempo disponível, dedicou-se à literatura e ao jornalismo, colaborando em publicações religiosas, como “O Mensageiro da Fé”, “A Paladina” e “A Voz”.
Escreveu as peças teatrais “Fausta” e “A Natividade”, poesias “Religiosa Clarisse” e “Bem Me Queres”, obras para literatura infantil, didáticas e romances.

O governo do Estado da Bahia, por meio da lei nº 182, de 20 de outubro de 1961, criou o Município de “Amélia Rodrigues”, em homenagem à educadora.

Amélia Rodrigues faleceu em 22 de agosto de 1926, aos 65 anos de idade, deixando a marca de um trabalho inigualável, tanto na Educação quanto na Literatura e na Assistência Social.

2019. Instituição Assistencial e Educacional Amélia Rodrigues. CNPJ 67.178.178/0001-06